Compra e Venda

A influência da digitalização na jornada de venda de imóveis


Esse foi o tema de live realizada pela diretoria regional do Sindicato em São José do Rio Preto
Tecnologia usada na jornada imobiliária

Dia 29/11, Ricardo Paixão, vice-presidente da Rede Imobiliária Secovi (RIS), explicou como a tecnologia pode ajudar na captação de imóveis, em live coordenada por Thiago Ribeiro, diretor regional do Sindicato em São José do Rio Preto.

Paixão apresentou estudo de sua autoria, realizado em parceria com a Fundação Dom Cabral, intitulado Linha de Maturidade – Comercialização de Imóveis Prontos, que mostra o amadurecimento do mercado imobiliário no Brasil e em outros países, e compara o desenvolvimento da intermediação imobiliária.

Os mercados menos desenvolvidos são fragmentados, têm redundância de oferta, redundância de demanda e espiral de desconfiança mútua, conforme o estudo. “Essas características são percebidas no Brasil. E a tecnologia pode colocar uma camada de verniz nos serviços das imobiliárias, tanto na captação de imóveis quanto no atendimento de clientes. A transformação digital vai mudar definitivamente todo o mercado imobiliário”, disse Paixão.

Os mercados imobiliários mais maduros, contudo, são colaborativos, têm listas consolidadas de oferta (portfólio organizado), escolha consciente do profissional corretor e espiral de confiança mútua.

Digital – Captar um imóvel não é somente descrevê-lo, mas sim agregar informações, como localização geográfica, qualificação dos pontos de interesse, escolas no entorno, feiras livres, comércios, shopping centers, rede de transporte público, renda média da região, índice de caminhabilidade, além de qualidade das fotos e vídeos 360º. “Contextualizar dados e informações para os clientes é prestar um serviço de qualidade, bem precificado e com boas imagens”, completou Paixão.

O cliente será fidelizado a partir do serviço prestado pela imobiliária e pelo corretor de imóveis. “Há um estudo interessante que mostra que 90% dos negócios imobiliários passaram, em algum momento, pelo atendimento de um corretor e de uma empresa de intermediação. Contudo, somente 30% das transações acontecem com esses profissionais. Isso mostra que faltam algumas peças ao longo da jornada de compra”, disse o vice-presidente da RIS.

Paixão explicou o funcionamento de uma nova ferramenta digital, que permite ao corretor apresentar a avaliação do imóvel em menos de um minuto. Para obter o documento, é preciso alimentar a ferramenta digital com o nome da rua na qual está o imóvel, a sua área privativa e a quantidade de vagas. A partir desses dados, cria- -se um mapa de valor da região, inclusive com a precificação do preço de locação. “A tecnologia ajuda a precificar e avaliar corretamente o imóvel. Com esses elementos, é possível criar uma história e uma jornada de venda qualificada.”

Ele disse, ainda, que está acontecendo uma reinvenção mundial da atividade de intermediação imobiliária. “O mercado vai continuar, mas com as imobiliárias e os corretores que trabalharem diferente”, concluiu.

Paixão coordenou no Rede Show, evento realizado pela RIS no dia 1º/12, o painel “Plataformas de Locação - Transformação necessária”.

 

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • UniSecovi