Administração de Condomínio

Ações por falta de pagamento de condomínio continuam em queda 


Levantamento do Secovi-SP em julho, aponta recuo de 2,9% em relação ao mês anterior
Hubert Gebara: "negociação pacífica é muito mais
vantajosa para ambos os lados."

Levantamento realizado mensalmente pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo mostra que ações de cobrança por falta de pagamento da taxa condominial continuam em queda. Em julho, o recuo foi de 2,9% em relação ao mês anterior, com 775 ações ajuizadas contra as 798 de junho. Em comparação com o mesmo mês de 2018 (951 casos), a redução foi de 18,5%.

De janeiro até julho, foram protocoladas 5.693 ações, contra 6.837 casos no mesmo período no ano passado, ou seja, queda de 16,7%. Já no acumulado de 12 meses (agosto de 2018 a julho de 2019), foram ajuizadas 9.846 ações, 22,9% inferior ao registrado no período anterior (agosto de 2017 a julho de 2018), que totalizou 12.766 ações.
 
Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP, atribui a redução ao aumento dos casos resolvidos amigavelmente.

“Uma negociação pacífica é muito mais vantajosa para ambos os lados. O condômino consegue chegar a um acordo que não leve a casos extremos, como a inclusão de seu nome no Serviço de Proteção ao Crédito e até a perda do imóvel. Já os condomínios também perceberam que, desta forma, o ambiente fica muito mais saudável e a quitação das dívidas são resolvidas de forma muito mais ágil”, afirma.

Confira o levantamento completo.

 

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP 


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas