Locação

Levantamento do Secovi-SP aponta alta no número de ações locatícias


Sindicato da Habitação apurou que, em abril, foram protocolados 1.650processos, aumento de 28% comparado a março e de 15,1% em relação ao quarto mês de 2017
    Bushatsky: elevação precoupa quem depende do recebimento do aluguel

De acordo com dados do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo obtidos pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação), foram protocoladas em abril 1.650 ações locatícias na capital paulista, um aumento de 28% em relação ao mês de março (1.289 ações). Em comparação com abril de 2017, quando tinham sido contabilizadas 1.434 ações, a alta foi de 15,1%.

"Essa elevação exige atenção, pois veio com o aumento do número de ações por falta de pagamento de despesas de condomínio. Isso preocupa quem depende do recebimento do aluguel e, nos condomínios, aqueles que terão dificuldade de pagar suas contas, que certamente aumentarão para cobrir a inadimplência", afirma Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP.

Em abril, as ações por falta de pagamento de aluguel foram responsáveis por 89,8% dos processos, com 1.481 processos. As renovatórias compareceram na segunda posição, com 89 ações e participação de 5,4%. As ações ordinárias/despejo e as consignatórias participaram, respectivamente, com 71 (4,3%) e 9 (0,5%) processos.

Confira o levantamento completo.
 

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas