Administração de Condomínio

Mudar comportamentos e hábitos pode ser mais fácil do que se imagina


Pedro Calabrez, professor e neurocientista, destacou a importância de se conhecer o funcionamento do cérebro, tanto para uma boa gestão de pessoas quanto para promover mudanças pessoais e coletivas
        Pedro Calabrez, da NeuroVox, alertas sobre a importância do cérebro

O córtex pré-frontal, localizado na parte da frente do cérebro, é peça-chave nos processos de planejamento e mudanças de comportamento, e é ele que confere ao ser humano a capacidade de controlar desejos e impulsos. A partir desta rápida explicação, Pedro Calabrez, sócio-diretor da NeuroVox, professor e pesquisador do Laboratório de Neurociências Clínicas da Escola Paulista de Medicina da Unifesp, desenvolveu a palestra Desafio à gestão de pessoas: Por que é tão difícil mudar? na tarde de quinta-feira, 8/11, durante o Enacon 2018.

É o córtex pré-frontal que capacita as pessoas a dizerem não e a tomarem decisões. Álcool e drogas, lícitas ou ilícitas, inibem essa capacidade e alteram o seu funcionamento, deixando o ser humano vulnerável e propenso a cometer excessos.

De acordo com Calabrez, para mudar é preciso desenvolver o autocontrole e vencer a preguiça. E como o cérebro é um instrumento primitivo, que tende a permanecer quieto para guardar energia a ser gasta pela pessoa no ato de trabalhar para prover a necessidade básica de alimentação, se proteger e reproduzir, precisa ser estimulado.

O autocontrole cerebral, necessário no processo de mudança de comportamento, é um bem finito, usado para se desempenhar as atividades do dia a dia e que, para ser recuperado, precisa de sete a nove horas de sono de qualidade, não induzido por drogas ou álcool, e de nutrição adequada. Nesse sentido, o palestrante orientou a todos os gestores a evitar as reuniões no período da tarde e às sextas-feiras, principalmente se nesses encontros forem tratados temas difíceis. “Na gestão de pessoas é importante conhecer o funcionamento do cérebro”, disse o especialista.

Planos futuros e hábitos imediatos são as duas categorias de comportamento. Para atingir mudanças na primeira delas, não se pode confundir sonho com metas e objetivos. Conforme explicou durante a sua palestra, o sonho é importante, mas demora mais de três meses para acontecer. Portanto, ele deve servir de norte para a mudança efetiva. Tendo o sonho definido, Calabrez recomendou desenhar as metas almejadas para serem alcançadas de um a três meses, até se chegar ao sonho. “Cuidado para não estabelecer metas irreais”, alertou.

Para cada meta estabelecida, devem-se traçar objetivos a serem alcançados dentro do prazo de uma semana a um mês. Esses objetivos, por sua vez, devem ser quebrados em passos a serem executados diariamente. O neurocientista disse que esse mapeamento deve ser escrito manualmente, para aumentar a memorização. “Somos capazes de atingir, por vez, de um a dois sonhos, no máximo. E para atingi-los, temos de ampliar a capacidade de dizer não e manter o foco na mudança, evitando os ralos de energia. E o celular é um dos mais potentes ralos”, enfatizou.

O palestrante explicou que hábitos são formados por comportamento, recompensa e gatilho. Para que haja mudanças nessa categoria comportamental, é preciso entender como eles se constroem, criar novos gatilhos e recompensas. “O maior erro é esperar dar vontade de mudar para promover a mudança. O cérebro gosta de conforto e preguiça. Para mudar, temos de lutar contra as vontades imediatas, quebrar a mentalidade fixa e deixar de achar que as pessoas são coisas”, disse.

A terrível ilusão da imortalidade foi destacada por Calabrez como a grande trava à mudança. “Quase nada é controlado no universo. Só é possível mudar comportamentos. Vamos lembrar que a vida é finita, assumir as rédeas da vida, mudar e ser melhor do que antes. O não, os erros e fracassos levam à mudança. E o mundo de hoje esconde isso dos jovens.”

Ele ressaltou que cabe à escola escolarizar e à família educar, eliminando o medo e valorizando a confiança. “A desconfiança leva ao egoísmo, à falta de ética, à corrupção e ao sentimento que o mundo sempre está em dívida conosco”, concluiu.

Uma exposição de produtos e serviços para o segmento condominial completou a programação do Enacon, que contou com o patrocínio de Bradeco, Atlas Schindler, Comgas, Itilligence, Fortnox, Leroy Merlin, Vivo, Vila Velha, Intelbras, Carboroil, Empresta Capital, Graber, Grupo GBS, Group Software e Techem.

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas