Compra e Venda

Pandemia provoca retração no mercado de imóveis residenciais novos em Rio Preto


Levantamento do Secovi-SP apurou queda de 33% nos lançamentos e de 13,4% nas vendas
    Secovi-SP divulga Estudo do Mercado Imobiliário de São José do Rio Preto

De acordo com o Estudo do Mercado Imobiliário de São José do Rio Preto, realizado pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) em parceria com a Robert Michel Zarif Assessoria Econômica, foram lançados 2.110 imóveis entre junho de 2019 e maio de 2020. O resultado foi 33% inferior ao levantamento passado, quando foram apontadas 3.147 unidades lançadas (junho de 2018 a maio de 2019). No acumulado de 12 meses (junho de 2019 a maio de 2020), as 1.654 unidades comercializadas representaram uma redução de 13,4% em relação ao intervalo anterior (junho de 2018 a maio de 2019), quando foram negociadas 1.911 unidades. 
 
Apesar da retração observada, o montante negociado no período foi superior ao esperado. Entre junho de 2019 e maio de 2020, o VGV (Valor Global de Vendas) totalizou R$ 429,1 milhões, volume 18,8% maior ao registrado no levantamento passado, quando atingiu a marca de R$ 361,1 milhões. Em termos de estoque, Rio Preto encerrou maio de 2020 com a oferta final de 1.911 unidades disponíveis para venda. O volume representa um crescimento de 15,8% em relação às 1.650 unidades não comercializadas no período anterior. Esta oferta é formada por imóveis na planta, em construção e prontos lançados nos últimos 36 meses (junho de 2017 a maio de 2020). Nos 12 meses, o indicador VSO – que apura a porcentagem de vendas em relação ao total de unidades ofertadas – ficou em 46,4%, representando uma redução de 13,6% em relação ao índice de 53,7% apontado no estudo anterior.
 
Os imóveis de 2 dormitórios econômicos destacaram-se em quase todos os indicadores, entre junho de 2019 e maio de 2020, registrando a maior quantidade de lançamentos (1.317 unidades), vendas (1.239 unidades), oferta final (1.235 unidades) e VGV (R$ 196,2 milhões). O melhor desempenho de comercialização foi dos imóveis de 1 dormitório econômico, que atingiu VSO (Vendas sobre Oferta) de 73,9%.
 
Cenário - Segundo Thiago Ribeiro, diretor regional do Secovi em São José do Rio Preto, o mercado estava num ritmo de crescimento muito bom no ano passado, quando chegamos a atingir um aumento de 635% nos lançamentos de imóveis e de 12,7% em relação às vendas. A pandemia, no entanto, adiou lançamentos para o segundo semestre deste ano, fechou estandes de vendas e, devido à instabilidade econômica da população, muitos contratos tiveram suas assinaturas postergadas.
 
“Esse é um reflexo claro dos efeitos do novo coronavírus no mercado imobiliário da cidade. A demanda continua existindo e, em boa parte dos casos, a compra foi apenas adiada. Para os que possuem condições de adquirir um imóvel, para moradia ou investimento, este é um momento propício, pois as baixas taxas de juros e a ampla oferta em linhas de crédito imobiliário são muito interessantes”, enfatiza o diretor, que ressalta, ainda, o avanço do processo digital durante a quarentena, que possibilitou a realização de muitos negócios neste período.
 
Clique aqui para acessar a íntegra do Estudo

Autor: Assessoria de Comunicação do Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas