Compra e Venda

Rede Imobiliária Secovi debate cultura de dados nas imobiliárias


Evento também discutiu modelos de trabalhos alternativos inspirados no mercado norte-americano
Reunião de integração deu boas-vindas a novas as-
-sociadas da RIS

Inteligência no uso de dados e tendências de modelos de trabalho foram o mote da reunião da Rede Imobiliária Secovi (RIS), em 19/9. O encontro contou com a participação de Danilo Igliori, chairman do DataZap; e Marcelo Romero, diretor de Inteligência de Mercado da RIS.

Potencial dos dados - O executivo do DataZap mostrou como o trabalho com dados pode fornecer informações essenciais que subsidiam a tomada de decisão nos negócios. Exemplos disso são a captura de tendência de aumento de unidades para locação e de oferta da atratividade de apartamentos menores.

Igliori pontuou que é preciso saber se a alta da procura por aluguel reflete mais uma tendência de comportamento do consumidor do que um sintoma econômico. “Necessitamos ver se é por causa do bolso do cliente”, ponderou.

Danilo Igliori, do DataZap: é preciso empregar inteligência
sobre os dados

Dentre as diversas possibilidades da exploração de dados, Igliori destacou a possibilidade de aferir média de preço de metro quadrado por quadra e por rua da cidade, calcular rentabilidade média por tipologia de imóvel, valorização imobiliária por tipo de imóvel e por região, entre outros.

Modelos de trabalho - Marcelo Romero, diretor de Inteligência de Mercado da RIS, compartilhou tendências do mercado de intermediação norte-americano apresentadas na última edição do Inman Connect, em Las Vegas.

“Por lá, o debate sobre a atuação das iBuyers é forte. É um movimento que chegou para quem quer trocar de imóvel mais rapidamente”, disse. Em média, o americano troca de casa a casa oito anos. No Brasil, essa média é de 20 anos.

O executivo também falou sobre modelos de trabalho que foram pauta do evento, como:

Diretor da RIS apresentou modelos de trabalhos alterna-
tivos entre imobiliárias e corretores inspirados no merca-
do norte-americano
  • RedFin – que tem a figura do corretor executivo – funcionário assalariado pela empresa, que recebe bônus de desempenho em vez de comissão);
  • Zillow – maior portal imobiliário dos EUA, com 85% do mercado. Recentemente, optou por abrir mão do corretor e ele mesmo fazer operações de compra e venda. A animosidade gerada fez com que a companhia perdesse 15% do valor de mercado na Bolsa, segundo Romero.
  • Opendoor – começou sem corretor, mas voltou atrás e passou a operar com intermediação.
  • KellerWilliams – beneficiando-se do regime de exclusividade (que faz com que cada corretor tenha oito imóveis, em média, em sua carteira), a  empresa compartilha seus estoques com os profissionais.
Nelson Parisi: associadas à RIS têm benefícios ex-
clusivos

Romero sublinhou que o DNA desses regimes passa pelo empoderamento do cliente, ao mesmo tempo em que se empenham esforços para educa-lo; pela diminuição dos atritos entre clientes compradores e vendedores e pelo acerto, cada vez maior, na precificação dos produtos das imobiliárias.

Benefícios – Nelson Parisi, presidente da Rede Imobiliária Secovi, em boas-vindas às novas associadas da RIS, apresentou resumidamente os benefícios disponíveis a quem integra a Rede. Foi o caso, por exemplo, do Órulo – plataforma que reúne oferta de imóveis remanescentes de incorporadoras de São Paulo. Através dela, os corretores podem oferecer unidades novas a seus clientes.


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas