Locação

Secovi-SP registra alta no volume de ações locatícias ajuizadas na Capital


Os processos judiciais foram motivados por falta de pagamento do aluguel, ações renovatórias, ordinárias/despejo e consignatórias
Secovi-SP apura o volume de ações locatícias ajuizadas em março

Levantamento realizado mensalmente pelo Secovi-SP junto ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) aponta que, em março, foram ajuizadas na cidade de São Paulo 1.308 ações locatícias.

O volume é 16,4% superior ao mês anterior, com 1.124 protocolos. Em relação a março de 2021 (1.250 ações), houve um incremento de 4,6%.

Do total ajuizado no mês de março, 1.120 ações (85,6%) foram motivadas por falta de pagamento do aluguel. As ações ordinárias – relativas à retomada de imóvel para uso próprio, de seu ascendente ou descendente, reforma ou denúncia vazia – contabilizaram 101 processos (7,7%). As renovatórias somaram 77 ações (5,9%). Já as ações consignatórias, movidas quando há discordância de valores de aluguéis ou encargos, com opção do inquilino pelo depósito em juízo, totalizaram 10 processos (0,8%).

No primeiro trimestre do ano, foram protocolados 3.166 casos, 2,4% a mais que as 3.093 ações registradas em igual período de 2021. No acumulado de 12 meses (abril de 2021 a março de 2022), foram ajuizadas 12.192 ações, queda 5,1% frente aos 12.848 processos registrados no mesmo período do ano anterior.

Evolução Mensal das Ações Locatícias

 

 

 

 

 

 

 

 

Confira a íntegra.

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • UniSecovi