Institucional

Transformar viés em colaboração foi a mensagem de Marcelo Tas no encerramento da Convenção Secovi


O jornalista compartilhou suas experiências positivas e negativas no mundo digital e deu dicas de comunicação
Jornalista Marcelo Tas deixou mensagem otimista para os participantes

Para encerrar a Convenção Secovi-SP deste ano, o Sindicato convidou Marcelo Tas, conhecido jornalista, dentre outras inúmeras atribuições profissionais. Em disputado painel que tratou do impacto das transformações digitais no relacionamento com o cliente, o palestrante abordou o tema sob a ótica do cliente.

Para ilustrar a importância do cuidado com a imagem, Tas usou como exemplo a transformação política mundial, comparando Getúlio Vargas, político brasileiro de grande expressão e cuidadoso com a publicação de suas fotos em um mundo analógico, com Vladimir Putin, presidente da Rússia que usa a imagem como estratégia de comunicação dentro da era digital. A diferença destacada pelo jornalista foi que Putin proibiu a associação de sua figura pública ao movimento Stop Homofobia e virou meme, alimentando uma exposição negativa. “Tudo o que se faz hoje vai para a Rede, fica publicado e é rastreado. A privacidade é zero e muito frágil.”

Um dos principais expoentes do mundo digital da atualidade, Tas contou um pouco de sua trajetória profissional, falou das virtudes e dos efeitos colaterais de um mundo mais aberto a opiniões e veloz.

Em sua apresentação, ele falou das dificuldades de lidar com grande quantidade de informação, da falta de diálogo colaborativo e deu uma dica para as empresas:  “transformarem viés em colaboração”. Na defesa de sua tese, Tas contou a fábula hindu “Sete sábios cegos e o Elefante”. Na história, cada um dos sábios analisa e interpreta a realidade a partir de partes diferentes do animal. “A interpretação das partes foi precisa, mas não completa. Quanto tempo é perdido com discussões a partir da interpretação de realidades fragmentadas”, questionou o palestrante.

Para Tas, quando se entende o viés do cliente e da equipe, chega-se a boas soluções. “Viés pode ser colaboração tanto nas empresas quanto nas famílias e em diferentes coletivos. Diversidade de vieses pode significar diversidade de soluções.” E diversidade de raça, gênero, condição social e cultural pode ser combustível para a criatividade nas empresas.

Comunciação é aquilo que se ouve, não o que se fala

No encerramento de sua palestra, Tas lembrou que comunicação não é o que se fala, mas o que se ouve, porque a mensagem chega a cada um de uma forma e se transforma a partir do do viés individual. Por isso, ele recomendou que as respostas sejam analisadas uma a uma. “Pode-se ter muitos clientes com as redes, mas a dúvida é se haverá capacidade de atender a todos e acompanhar esse atendimento”, disse.

“Agora, precisamos de um tempo para metabolizar todo o conhecimento e as informações adquiridas durante esses três dias de evento”, concluiu Diego Velletri, coordenador da Convenção Secovi-SP 2019.

A Convenção Secovi tem patrocínio de Atlas Schindler, Caixa, Grupo Souza Lima, OLX, Abrainc, Comgás, Intelbrás, Mapfre, Mega Sistemas, Porto Seguro, Regus, Serasa e Tokio Marine, SegImob, Techem.

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas