Compra e Venda

“Mercado imobiliário vive uma tempestade perfeita às avessas”, diz economista Eduardo Giannetti durante abertura do Rede Show


Celso Petrucci, do Secovi-SP, e Marcos Lopes, da Lopes Consultoria em Imóveis, também participaram de painel que discutiu a retomado do mercado, durante evento exclusivo para imobiliárias
Na imagem, à esquerda: Eduardo Giannetti, Marcos Lopes, Nelson 
Parisi e Celso Petrucci
 

Promovido pelo Secovi-SP e pela Rede Imobiliário Secovi, o Rede Show foi aberto nesta quinta-feira, 3/12, em uma versão 100% on-line. Com o intuito de discutir as transformações nas imobiliárias, o encontro contou, na abertura, com a participação de Cláudio Hermolin, vice-presidente de Intermediação e Marketing do Secovi-SP, que também representou o presidente da entidade, Basilio Jafet.

O dirigente lembrou os inúmeros obstáculos enfrentados ao longo da pandemia do novo coronavírus, mas também citou as conquistas impressionantes decorrentes desses desafios. “Temos tido resultados expressivos, o que reforça a importância e a capacidade do nosso setor de captar essas necessidades e transformá-las em algo novo, mesmo de forma abrupta, como ocorreu durante o período de isolamento social”, pontou Hermolin.

O vice-presidente também lembrou a perda de um grande entusiasta do setor e homenageou Elbio Fernández Mera pelas contribuições à área. “O Secovi-SP e o mercado perderam um grande amigo. Graças a ele, temos a Rede Imobiliária Secovi e o próprio Rede Show. Nosso reconhecimento e gratidão por tudo o que ele fez por nós”, disse.

Na sequência, durante o painel “Retomada do Mercado”, o economista e professor Eduardo Giannetti apontou, inicialmente, o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil no terceiro trimestre divulgado no dia 3/12. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o crescimento foi de 7,7% na comparação com os três meses anteriores.

Para ele, o número não é tão alto quanto uma parte do mercado financeiro esperava, mas confirma o processo de retomada econômica. “Voltamos ao patamar do início de 2017, quando começamos a sair da forte recessão que nos abateu em 2015 e 2016.” Giannetti enfatizou também que é plausível e realista acreditar que o PIB brasileiro cresça de 3,5% a 4% no próximo ano.

No tocante ao mercado imobiliário, o setor vive quase uma “tempestade perfeita às avessas”, afirmou o economista, ao se referir ao bom desempenho, principalmente das vendas de imóveis, em nível nacional. Sobre o aumento nos preços de insumos da construção civil, Giannetti disse que acredita num efeito temporário decorrente da paralisação das atividades de produção desses materiais e, ainda, como resultado do reflexo do auxílio emergencial, que permitiu a aquisição de insumos para pequenas reformas em milhares de lares pelo País.

Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, enfatizou a importância da construção civil ter sido considerada uma atividade essencial durante a pandemia, o que permitiu que mais de 90% das obras não fossem paralisadas. O especialista também apresentou dados relativos à capital paulista que demonstram uma forte atividade do setor, mesmo num ano marcado pela pandemia. Segundo ele, foram 32,7 mil unidades lançadas nos dez primeiros meses de 2020 e 38,3 mil imóveis vendidos no período. Os números representam, respectivamente, uma queda de 22% e um aumento de 5,6% em relação ao mesmo intervalo do ano passado.

Para ele, o mercado imobiliário ainda tem muita demanda criada no período de 2014 a 2017 e, por esse motivo, há um bom espaço para o lançamento de produtos voltados à classe média, média alta e alta na cidade. “Como o dinheiro investido tem tido um baixo retorno de investimento, o imóvel passou a ter um interesse ainda maior. Este tipo de bem passou a ter uma competitividade adicional em relação à necessidade apenas da casa própria”, salientou Petrucci.

Marcos Lopes, membro do Conselho de Administração e diretor presidente da Lopes Consultoria em Imóveis, acredita que o mercado possui grandes chances de crescimento e se mostrou otimista em relação ao próximo ano. “Se não tivermos recessão e uma alta expressiva da inflação, teremos um mercado vigoroso em 2021”, pontuou. O presidente da Rede Imobiliária Secovi, Nelson Parisi, também esteve presente como facilitador do painel. 

O Rede Show contou com patrocínio de SegImob, Porto Seguro, Realogy, Zap+ (diamante), Fix, Superlógica, Housi e Startup IConatus (bronze).

Leia mais:

Rede Show focaliza a aplicação da LGPD nas imobiliárias

Transformação nas imobiliárias é tema do Rede Show 2020

Tecnologias melhoram a jornada de vendas

Os novos negócios em pauta no Rede Show

No Rede Show, Rafa Avellar dá dicas de marketing de conteúdo

Autor: Assessoria de Comunicação do Secovi-SP 


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • UniSecovi