Locação

Pesquisa do Secovi-SP mostra estabilidade no valor do aluguel em São Paulo


Variação em março foi de 0,05% em relação a fevereiro e de 1,26% nos últimos 12 meses
  Nos últimos 12 meses (abril de 2020 a março de 2021), houve ligeiro aumento
  de 1,26%, percentual bem abaixo do IGP-M.

O valor dos contratos de locação residencial fechados na cidade de São Paulo permaneceu estável (0,05%) em março, na comparação com o resultado do mês de fevereiro, segundo Pesquisa de Locação do Secovi-SP.

Nos últimos 12 meses (abril de 2020 a março de 2021), houve ligeiro aumento de 1,26%, percentual bem abaixo do IGP-M (Índice Geral  de Preços - Mercado), da Fundação Getúlio Vargas, que registrou variação de 31,10% no mesmo período.

"Os dados comprovam a estabilidade nos novos contratos de locação, resultado das renegociações entre proprietários e inquilinos, que vêm ocorrendo desde o início da pandemia, o que tem sido extremamente positivo para o mercado”, ressalta Adriano Sartori, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP.

Em março, os valores dos imóveis de 2 dormitórios ficaram estáveis, enquanto os de 1 dormitório aumentaram em média 0,12% e os de 3 quartos cresceram 0,05%.

Metodologia

Os dados estão dispostos em faixa de valores por m², número de dormitórios e estado de conservação. Por exemplo, um imóvel de três quartos na zona Norte, em bom estado, possui aluguel médio de R$ 21,06 o m²,  enquanto para imóveis com conservação regular sai a R$ 18,80 o m². O valor de locação de uma moradia de 90 m² varia entre R$ 1.692,00 e R$ 1.895,40.

Nos bairros da área Sul – zona A, como Jardins, Moema e Vila Mariana, uma residência de 2 dormitórios, em bom estado, tem valor médio de R$ 36,65 por m² de área útil ou construída.Um imóvel em estado de conservação regular sai a R$ 33,77 o m². Assim, para um imóvel com área de 70 m² na região, o aluguel fica entre R$ 2.363,90 e R$ 2.565,50.

Garantias e velocidade de locação

O fiador continua sendo a garantia mais frequente entre os inquilinos, respondendo por 46% dos contratos firmados em março. O depósito de três meses de aluguel foi a segunda modalidade mais usada – cerca de 38,5% escolheram essa forma de garantia. O seguro-fiança foi o tipo de garantia pedido por 15,5% dos proprietários.

O IVL (Índice de Velocidade de Locação), que avalia o número de dias até que se assine o contrato de aluguel, indicou que o período de ocupação foi de 19 a 75 dias. Os imóveis alugados mais rapidamente foram as casas e os sobrados: de 19 a 47 dias. Os apartamentos tiveram um ritmo mais lento: de 23 a 75 dias.

Confira a íntegra da Pesquisa de Locação Residencial do Secovi-SP.

 

 

 

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • UniSecovi